1 de nov de 2012

PARA SEMPRE!

Poderá o mundo reunir quatro caras fantásticos assim novamente?
(clique na foto para ampliar- fotomontagem da Georgina Flood)

14 de set de 2012

BIKER!

Um maravilhoso clipe de Paul da canção Biker Like an Icon, do seu álbum Off The Ground, de 1993. Curta!

18 de ago de 2012

PAUL E SUA FAMÍLIA EM 1970 - ESCÓCIA


O ano é 1970. Mary, a primeira filha de Paul e Linda ainda não completara 1 aninho. Juntos, com Heather (filha do primeiro casamento de Linda com Joseph Melville - o Jojo da canção Get Back...) eles curtem ótimos momentos na sua fazenda na Escócia, que mais tarde seria pano de fundo para a canção Mull Of Kyntire. Paul, nessa época já finalizar o seu disco solo McCartney e viria a lançá-lo no dia 17 de abril de 1970, colocando areia no planejado lançamento do álbum dos Beatles Let it Be, que acabou saindo em 8 de maio de 1970. A canção no fundo é Junk, numa versão orquestrada. Canção lindíssima lançada nesse mesmo álbum de estreia, o McCartney. Curta! 

6 de jul de 2012

JOHN E PAUL

No dia 6 de julho de 1957, há exatos 55 anos, John Lennon era apresentado para Paul McCartney pelo amigo em comum Ivan Vaughan. E ali a música começava a ser escrita de uma maneira muito especial. Yeah!

John no palco sendo observado por Paul

30 de jun de 2012

28 de jun de 2012

A VIDA CORRE DENTRO E FORA DE VOCÊ

Surpreendo-me ainda ao deparar com pessoas que pensam serem os Beatles uma bandinha que só pedia para pegar na sua mão ou dizer-lhe que ela o ama. Muita gente ainda não deixou-se levar por essa isca inocente dos caras para depois perceber, maravilhado, qual é o caminho que eles queriam mostrar.

As mensagens trazidas até nós, embutidas numa música inovadora e, por isso, arrebatadora, foram o desatar de um nó em nossos cérebros, descortinando a paisagem das possibilidades reais de liberdade, amor, respeito à vida, e sobretudo de posicionamento perante o mundo conhecendo-se a si mesmo.


18 de jun de 2012

RINGO CANTA PARA PAUL QUE COMPLETA 70 ANOS!

PAUL FAZ 70 ANOS!

Hoje é um dia abençoado da Beatlemania mundial: Sir Paul completa 70 anos! E para comemorar, publicamos um texto estupendo do nosso colega de Beatles Brasil, o Cláudio Teran. Esperamos sua leitura e comentários! Viva Paul! 

PAUL McCARTNEY FAZ 70 ANOS HOJE 
by Cláudio Teran 

Paul McCartney é da idade do tempo. Do meu tempo. Do seu tempo. Do nosso tempo. Se ele fosse um sujeito comum estaria se tornando oficialmente velho hoje aos completar 70 anos. Só que não estamos falando de um cara qualquer, mas de Paul McCartney. Se hoje ele crava 70 anos faz exatamente 50 que está entre nós como cidadão do mundo, ícone de... gerações. Um realizador. Paul McCartney transformou pelo talento, cantando e compondo. Seu fuzil é o contrabaixo em forma de violino. Não nasceu para ser governante mandatário mágico ou presidente. Mas é o comandante da maior revolução de felicidade duradoura e coletiva por metro quadrado a cada show que faz lotando estádios Em Recife, Tel Aviv, Nova York, Rio de Janeiro, Tóquio ou Dubai. Os coelhos de sua cartola são as canções dos Beatles que fez em parceria com John Lennon e um punhado de outras que fez sozinho. Suas músicas, aliás, são como hinos compreendidos em todo o planeta e por qualquer raça. 

Paul McCartney é como um Big Bang virtuoso. O perfeito representante do mundo ideal. Nesses cinquenta anos de duração da beatlemania ele nos fez esquecer as coisas más e provou que o movimento de que precisamos está mesmo em nossos ombros quando reagimos arrebatados enlevados motivados e mobilizados por ele e seu canto exato e novo. Mais que novo contemporâneo porque Paul não veio para passar. Ele ainda é o mesmo cara que povoa os sonhos de mulheres que envelheceram imaginando que aquele rapaz de Liverpool seja o príncipe encantado perfeito. Elas ainda estão aí dividindo o mesmo sentimento com garotas que nos dias de hoje berram quando ele passa: I Love You Paul! 

E os rapazes? Quantos são os homens do mundo que se espelharam nele para serem músicos, cantores, compositores... McCartney é o tal que faz os sorrisos e as lágrimas das pessoas aflorarem por prazer. Seus gestos palavras atitudes e letras das canções que estamos cantando são como um refrão sem fim. A mais perfeita tradução do carnaval de luzes que se acendem movidas pela combustão de energia que ele causa. Paul McCartney, não duvido, é um daqueles casos em que o amor será eterno em qualquer tempo porque não consigo imaginar que ‘Hey Jude, The Long and Winding Road, She’s Leaving Home, For no One, And I Love Her, Let it Be, Michelle’ e tantas outras deixem de ser canções para sempre. Eu sou um dos sujeitos felizes que vai completar cinquenta anos de idade no mesmo ano do meio século de beatlemania. No ano dos setenta de Paul McCartney. 

A longa e sinuosa estrada que leva até sua porta jamais desaparecerá. Eu já vi esta estrada antes. Ela sempre me traz até aqui. Conduz a todos nós até sua porta. Sou testemunha do melhor dos tempos. O tempo em que um gigante como Paul McCartney continua caminhando pela Terra...

26 de mai de 2012

IVAN

Na foto: John Lennon, Jimmy Tarbuck, Mike Hill, Ivan Vaughan (quem apresentou John a Paul). 

Ivan Vaughan era amigo tanto de John quanto de Paul, tendo inclusive os apresentado no dia 6 de julho de 1957. Ele e Paul nasceram no mesmo dia em Liverpool: 18 de junho de 1942. Apesar de ter tocado no Quarrymen, ele não continuou na música e se tornou professor. 

Em 66 casou-se com Jan, professora de línguas, que ajudou Paul na letra da canção Michelle. Ivan Vaughan também trabalhou na Apple. 

Em 77 foi diagnosticado como portador do mal de Parkinson e veio a falecer em 93. Paul compôs pra ele o poema Ivan, lançado no seu livro de poemas Blackbird Singing.

22 de mai de 2012

FOTO INVERTIDA NA ABBEY ROAD VENDIDA EM LEILÃO!

A fotografia inédita dos Beatles atravessando a Abbey Road no sentido contrário foi leiloada por 16 mil libras esterlinas (cerca de R$ 49 mil) --quase o dobro do valor estimado-- na Bloomsbury Auctions, em Londres, nesta terça (22). 

Segundo a "NME", o leilão começou com uma oferta de 6.000 libras, mas o valor rapidamente subiu e o item foi arrematado em menos de um minuto. 

O retrato é uma versão "invertida" daquele que foi eternizado na capa do disco "Abbey Road", de 1969: o quarteto de Liverpool cruza a faixa de pedestres da direita para a esquerda, sentido contrário da foto original. 

Ambas foram registradas pelo fotógrafo Iain Macmillan. Na imagem que pertencia a um colecionador, há algumas diferenças: Paul McCartney atravessa a rua de chinelos --na original, ele está descalço-- e sem o cigarro que segurava em uma das mãos. Compare abaixo:

Foto oficial do álbum Abbey Road (reprodução)

A foto invertida
Divulgação: Bloomsbury Auctions

1 de mai de 2012

ABBEY ROAD REMIXADO

Abbey Road Remixado é um texto do amigo Marcelo Sguassábia publicado no excelente blog dele Consoantes Reticentes. Segue abaixo:

- Ok, boys. Já que a ideia é mesmo essa e parece que não há jeito de vocês voltarem atrás com essa tolice, tenho algumas sugestões para deixar o resultado final um pouco menos ruim. Pra começo de conversa, sugiro que vocês quatro se virem pra câmera dando tchauzinho. Sei lá, penso que assim a coisa ficará mais amistosa e interativa do que todo mundo sério e alinhado, olhando pra frente e atravessando a rua.

- Mas afinal de contas, o que você tem em mente é uma capa de disco ou um cartaz de circo? Só falta você sugerir que o Ringo fique fazendo chifrinho no George na hora do clique…

- Calma, Paul. Eu sei que a ideia é sua, mas vocês contrataram um fotógrafo profissional e eu me sinto na obrigação de orientá-los pra que o resultado fique realmente bom e funcione comercialmente. Uma coisa é certa, rapazes: nenhuma capa de disco entra pra história com quatro sujeitos atravessando uma faixa de pedestres como se fossem uns anônimos e inexpressivos súditos da rainha. Caramba, vocês são os Beatles!!!

- Veja bem, por mim você e Paul decidem o que acharem melhor nessa peleja capitalista de vender mais ou menos discos. A única coisa que peço é que a Yoko atravesse a faixa ao meu lado. Caso contrário, não tem negociação, vamos embora agora mesmo. Vocês sabem que não desgrudo um minuto dela, e isso inclui travessias de rua, partidas de rugby e até exames de próstata.

- John, isso é efeito da maconha, do LSD ou do sol na cabeça? Estamos falando de um disco dos Beatles, e não de Yoko e sua banda. Compreende?

- Espera aí, gente. Se este pobre baterista pode dar um palpite, recomendo que continuemos a discussão num pub ou algo assim. O trânsito está ficando engarrafado e daqui a pouco começam a buzinar. A intenção era perder no máximo vinte minutos com esta merda de foto. Não temos o dia todo e precisamos gravar mais um take de “Come Together” ainda hoje, esqueceram?

- Eu insisto: tá faltando alguma coisa bombástica, arrebatadora, que dê uma sacudida nessa capa. Ou então, sei lá, um toque de humor britânico, mesmo que bem sutil. Por exemplo, um de vocês é o guarda de trânsito, orientando os outros três na travessia. Heim, que tal? Aí sim vai ficar bacana.

- Tudo bem, mas e a Yoko?

- Sugiro que o guarda se distraia e um carro passe por cima dela.

- Por esta gracinha eu poderia te enfiar a mão na cara, Paul. Mas não vou fazer isso porque, independente de como fique essa maldita capa, no final das contas vão achar que o morto é você, e não Yoko. Pode apostar. Babacas do mundo todo vão esquadrinhar cada centímetro da foto, procurando pistas que confirmem a sua morte. O que mais lamento é que ela não passe de um boato.

- Gente, por favor, vamos dar uma trégua na troca de afagos. Daqui a pouco começa a juntar gente pra pedir autógrafos, a imprensa aparece e aí a foto já era.

- Pensando bem, acho que o Ringo está certo. Vamos voltar para o estúdio, terminar “Come Together” e esquecer essa história de capa de disco na faixa de segurança. Temos mais um tempo pra pensar numa solução melhor.

© Direitos Reservados

Marcelo Pirajá Sguassábia é redator publicitário e colunista em diversas publicações impressas e eletrônicas.

Blogs:

28 de abr de 2012

PAUL EM FLORIPA DIA 25 DE ABRIL! YEAH!

O show foi sensacional! Paul estava inspiradíssimo e não poupou gracejos e muita brincadeira com a plateia. Choveu canivetes, porém nada atrapalhou o andamento do show, que foi o maior de toda a turnê Sul-Americana, com 38 canções! 

Ouvi músicas que não tinha ouvido nos shows de São Paulo e Rio, como Magical Mistery Tour, My Valentine (se bem que essa é recente), I Saw Her Standing There, Hope of Deliverance, Birthday, Ram On, uma canjinha de Yellow Submarine (dedicada ao Ringo), Maybe I'm Amazed e Junior's Farm

Gravamos Maybe I'm Amazed (que ele dedicou à Linda dizendo: "Esta é para ti, Linda!":


My Valentine (dedicada à Nancy):


Live And Let Die


 Hope Of Deliverance:


Big Charles e Paul cantando Jet ao fundo!
E agora, Paul! Quando será o próximo show no Brasil?


24 de mar de 2012

YELLOW SUBMARINE EM BLU-RAY!

O clássico filme animado dos Beatles "Yellow Submarine" (1968) foi restaurado digitalmente e será lançado em DVD e Blu-Ray no dia 28 de maio agora.

O vídeo foi restaurado sem softwares, todo manualmente, devido à natureza delicada da arte gráfica original, toda desenhada à mão. Inspirado pelas tendências artísticas da época, o filme tem influências da pop art de Andy Wahrol, Martin Sharp, Alan Aldridge e Peter Blake. 

No longa, John, Paul, George e Ringo lutam com humor, músicas e, claro, um submarino amarelo para salvar Pepperland dos terríveis Blue Menies e seu líder Flying Glove. Veja o trailer:

25 de fev de 2012

ANIVERSÁRIO DO GEORGE

E hoje nosso ídolo George Harrison completaria 69 anos. Deus o abençoe, George!

O Beatlebox, nessa data tão especial, separou um sensacional texto do amigo Cláudio Teran, da Beatles Brasil, sobre o assunto. Curtam!

HOJE GEORGE HARRISON COMPLETA 69 ANOS
Saudades do Beatle Gentil
By Teran

Nós não associamos nossos ídolos à velhice. Mesmo que a idade também avance para eles. É como se o tempo desses caras que amamos fosse outro. E na verdade é. George Harrison conforme preconiza a letra de My Generation morreu antes de ficar velho. Tinha 58 quando se foi e hoje faria 69. Nos seus momentos de desilusão e melancolia costumava soltar frases impagáveis e desconcertantes como a que proferiu no final da série Anthology em que vaticina: “no final das contas se os fãs deram seu dinheiro e amor aos Beatles a banda deu a eles seu sistema nervoso, algo que é muito mais difícil de doar”. Quando Free as a Bird estava sendo extraída de uma fita de John Lennon para virar canção dos Beatles, George disse ao seu amigo músico e produtor Jeff Lynne que quando morresse as pessoas por favor não ficassem a fuçar nos cassetes que ele guardava com fragmentos ideias e rascunhos de canções. Por trás da ironia e da aparente desilusão George Harrison sempre me passou o contrário. Dele tenho a impressão que foi alguém que amava a vida o mundo e as pessoas. Por mais introspectivo que parecesse, George sempre foi a meu ver o beatle gentil. Por prestar atenção a suas incontáveis declarações eu acho que consegui ao longo do tempo enxergar o homem por trás do ícone.

Guardo dele com o distanciamento possível para um fã a impressão de que foi um sujeito inquieto. Alguém que parecia o tempo todo estar buscando algo. Por mais inserido que estivesse no contexto do mundo material e por mais grato que fosse ao talento e ao estrelato que geraram sua fama e fortuna o beatle que tocava ukelele certamente aprofundou pela trilha do amadurecimento a busca incessante pela verdade. A verdade absoluta. A mesma que o levou a mergulhar na cultura indiana e no Hare Krishna. A mesma que o levou a preferir uma vida o mais distanciado possível dos holofotes depois dos Beatles. Não duvido que a busca dessa essência tenha sido a verdadeira luz interna que o movia.

Quando o filme Anthology estava para estrear na televisão George Harrison se encontrava na Austrália, um dos lugares do mundo que ele adorava. Entrevistado afirmou que queria aproveitar a oportunidade para sugerir que Michael Stipe e Bono Vox assistissem o documentário “para que compreendessem de fato o que era uma banda realmente famosa”. George nunca foi o cara dos autógrafos dos apertos de mão e dos sorrisos para a imprensa. Mas gosto de divagar que poderia a qualquer momento receber um abraço sincero dele se esbarrássemos por aí. Eu ou qualquer outro fã comum. Gosto de pensar que não existe outro ídolo fora deste plano do qual eu guarde mais a memória da pessoa que ele foi do que este beatle gentil. Hoje não é só dia de lembrar o aniversário de 69 anos de George Harrison. É dia de lamentar a tremenda falta que ele faz ao mundo...

13 de fev de 2012

PAUL McCARTNEY NO GRAMMY 2012

Ontem, domingo, 12 de fevereiro de 2012, aconteceu a 54ª edição do Grammy, premiação promovida pela Academia Fonográfica Americana que premia anualmente os melhores artistas e lançamentos musicais do ano. A cerimônia foi realizada em Los Angeles, nos Staples Center.

E, é claro, Paul foi um dos artistas que receberam maior destaque na 54ª Edição do Grammy 2012. Tudo começou na sexta-feira (10), quando o beatle foi homenageado no MusiCares. O evento elege a personalidade do ano e tem como critérios os trabalhos que ele realiza com a comunidades e suas ações sociais. Desta vez um dos “garotos” de Liverpool pisou no palco do LA Convention Center e recebeu o auxílio de outras celebridades do mundo da música. Artistas de vários estilos musicais participaram da festa, como é o caso de Neil Young, Katy Perry, Dave Grohl, Bruce Springsteen, entre outros. Já no dia da cerimônia de entrega dos prêmios, Paul McCartney foi apresentado por Stevie Wonder, o qual faz parte do seu mais recente trabalho, para cantar a música 'My Valentine'. Na parte final do show, vários deles subiram juntos ao palco para cantar com Paul as músicas 'Golden Slumbers', 'Carry That Weight' e 'The End'. Veja no vídeo:



Abaixo segue a lista de alguns dos 78 prêmios do 54º Grammy:

Gravação do ano: “Rolling In The Deep“, Adele
Álbum do ano: “21″, Adele
Canção do ano: “Rolling In The Deep”, Adele
Revelação: Bon Iver
Melhor performance pop solo: “Someone Like You“, Adele
Melhor performance pop dueto ou grupo: “Body And Soul“, Tony Bennett e Amy Winehouse
Melhor álbum pop instrumental: “The Road from Memphis”, Booker T. Jones
Melhor álbum pop vocal: “21″, Adele
Melhor gravação eletrônica: “Scary Monsters and Nice Sprites“, Skrillex
Melhor álbum eletrônico: “Scary Monsters and Nice Sprites”, Skrillex
Melhor álbum pop tradicional: “Duets II”, Tony Bennett
Melhor performance rock: “Walk“, Foo Fighters
Melhor performance hard rock/metal: “White Limo“, Foo Fighters
Melhor canção de rock: “Walk”, Foo Fighters
Melhor álbum de rock: “Wasting Light”, Foo Fighters
Melhor álbum alternativo: “Bon Iver, Bon Iver”, Bon Iver
Melhor performance de R&B: “Is This Love“, Corinne Bailey Rae
Melhor performance de R&B tradicional: “Fool For You“, Cee Lo Green e Melanie Fiona
Melhor canção de R&B: “Fool For You”, Cee Lo Green e Melanie Fiona
Melhor álbum de R&B: “F.A.M.E.”, Chris Brown
Melhor performance country solo: “Mean“, Taylor Swift
Melhor performance country duo ou grupo: “Barton Hollow“, The Civil Wars
Melhor canção country: “Mean”, Taylor Swift
Melhor álbum country: “Own The Night“, Lady Antebellum
Melhor vídeo curto: “Rolling In The Deep”, Adele
Melhor vídeo longo: “Back and Forth“, Foo Fighters

1 de fev de 2012

VIVA E DEIXE MORRER

Enquanto milhões de pessoas resolvem simplesmente não pesquisar o que seja música, ao ponto de vibrarem com porcarias terríveis que até viram hits mundiais (meus sais!), tem gente que sabe explorar variações de verdadeiras obras primas. E o Beatlebox pesquisa, acha e traz pra você, leitor de bom gosto.

Vejam e ouçam a releitura que fez David Garrett da magnífica canção de Paul McCartney,' Live and Let Die'. Curta!

31 de jan de 2012

O SOLO PERDIDO DE HERE COMES THE SUN

Neste vídeo vemos Sir George Martin, Giles Martin (seu filho), e Dhani Harrison (filho de George) ouvindo uma mix de 'Here Comes The Sun'.

Dhani, de repente abre o canal com o "solo perdido". E agora, no minuto 1:01 até 1:31, com a pista principal ao fundo, você poderá ouvir como este solo, até então desconhecido (ou esquecido), soou na música.

Este era George Harrison. Um verdadeiro gênio. Cool!

11 de jan de 2012

HELP! PARA O JAPÃO!

Um EP será lançado na Europa em 09 de marco de 2012!

O primeiro aniversário do terremoto desastroso no Japão será no dia 11 de março de 2012. As consequências desta catástrofe ainda é aparente, e até hoje o povo japonês está enfrentando o impacto dos eventos sobre a população. Muitos ainda não foram capazes de regressar ao seu viver cotidiano e as pessoas ainda são gratas pela nossa ajuda.

Alguns dos principais roqueiros da Europa se uniram para participar de uma campanha iniciada pelo cantor Tommy Heart (Fair Warning, Soul Doctor) e gravou uma bela versão de um dos clássicos dos Beatles, Help!.

Toda a renda das vendas deste projeto será doado para a Cruz Vermelha japonesa.

Este EP inclui as seguintes quatro músicas:

HELP!
HELP! (Tommy Versão Heart)
HELP! (Versão guitarra)
HELP! (Extended Version)

Ele estará disponível em lojas de discos, no site da Amazon e iTunes!

Os músicos:
Don Airey - Teclado & Piano (Deep Purple), Leo Leoni - Guitars (Gotthard), Neil Murray - Bass (ex Whitesnake), Hena Habegger - Drums (Gotthard).

Os cantores:
Tobias Sammet (Edguy, Avantasia), Bob Catley (Magnum), Andi Deris (Helloween), Torstein Flakne (Dolls Stage), Marc Storace (Krokus), David Readman (Pink Cream 69), Claus Lessmann (Bonfire), Oliver Hartmann ( Hartmann), Ralf Scheepers (Primal Fear), Bernhard Weiss (Axxis), Michael Kiske (Unisonic), Tony Mills (TNT), Lagarto Carsten Schulz (Evidence One) e Tommy Heart (Fair Warning, Soul Doctor).

O solo de guitarristas:
Cede Dupont (Downspirit), Kyoji Yamamoto (bowwow), Helge Engelke (Fair Warning), Roland Grapow (Masterplan), Leo Leoni (Gotthard), Henny Wolter (Nitrogods), Robert R. Rodrigo (Airless).

Todos as "HELP!" versões produzidas e mixadas por Tommy Heart, Remm Tommy Schostak Rene (Valicon).
Arranjo Vocal by Heart Tommy.
Arranjo Solo de guitarra de "Help" (Versão Guitarra) por Helge Engelke.
Masterização de áudio por Berlim Müller TMM / Tom / Alemanha.
Cover "Help! Para o Japão" arte projetada por Kai Swillus.

Por favor, apoiem-nos sobre este projeto por meio da publicação dessas notícias e cliquem nos endereços mencionados abaixo!


Para mais informações sobre "Help! Para o Japão" por favor visite nosso Web site em: