26 de dez de 2010

QUEM VAI?

Friday night 2-11-11 (11 de fevereiro de 2011)! Los Angeles, Get ready! 47 years to the exact date of the Beatles first USA concert. For the first time since 1964, the complete closed-circuit video broadcast of The Beatles First American Concert, with special guests The Beach Boys and Lesley Gore, will be screened theatrically by the American Cinematheque!

Show starts at 7:30 pm, Friday, February 11th at the Egyptian Theater, 6712 Hollywood Boulevard, Hollywood, California. Advance tickets available by phone via the American Cinematheque box office @ (323) 692-3431.

22 de dez de 2010

A FAIXA DE PEDESTRES MAIS FAMOSA DO MUNDO VIRA PATRIMÔNIO INGLÊS!



A faixa de pedestres localizada em frente ao estúdio londrino Abbey Road, eternizada na capa do álbum homônimo dos Beatles em 1969, foi considerada nesta quarta-feira (22) um patrimônio histórico inglês. A sinalização ganhou o status "grade II", dada apenas a prédios e obras arquitetônicas, afirma o site da BBC.

A faixa original em que Paul, John, Ringo e George atravessaram foi movida por alguns metros há 30 anos devido ao trânsito. "Essa faixa de pedestres londrina não é um castelo ou uma catedral, mas graças aos Beatles e a uma seção de fotos de 10 minutos realizadas em uma manhã de agosto de 1969, ela também tem o direito de ser vista como parte do nosso patrimônio", afirmou John Penrose, ministro do turismo no Reino Unido.

Segundo o político, como os estúdios Abbey Road já possuiam a mesma certificação histórica, o local se torna "uma Meca para os fãs mundiais dos Beatles".

FONTE: g1.globo.com

19 de dez de 2010

PAUL - O MELHOR SHOW DE TODOS!

Ontem, numa entrevista Paul disse que o show de São Paulo, o do primeiro dia, 21 de novembro, e o realizado na Casa Branca para a família Obama, foram os ápices dos seus shows no ano de 2010.

Leia o trecho: It’s been an incredible year, I think you’ve got, I would pick two. I think Sao Paulo, 65,000 people the first show was amazing the Brazilian people love their music and so we love to play to them and it was a stand out show. It was one of our top shows ever, and it was just brilliant, the audience was bananas and we have a great evening. And then I think you know you come down to the East room in the White House, smaller but just as great because of the Obamas' and the guests who were on the show so we had a great evening there too so I would choose those two.

E nós estávamos lá, no Morumbi, extasiados e 'bananas'! Thanx, Paul!

E ouça agora, gravada direto da pista prime pelo nosso colega da Beatles Brasil, o Prof. Guilherme Lentz, no dia 21 de novembro de 2010, a canção 1985!

1985 (live - Morumbi - Sao Paulo - 11/21/10)

14 de dez de 2010

PAUL AO VIVO NO APOLLO THEATER ONTEM!



SETLIST
------------------------------
Magical Mystery Tour
Jet
Drive My Car
All My Loving
One After 909
Let Me Roll It/Foxy Lady
The Long And Winding Road
Nineteen Hundred And Eighty-Five
Maybe I'm Amazed
Blackbird
I'm Looking Through You
And I Love Her
Petruska
Dance Tonight
Eleanor Rigby
Hitch Hike (Marvin Gaye Cover)
(PA Problems, Stops, Restarts)
Band On The Run
Ob-La-Di, Ob-La-Da
Back In The U.S.S.R.
A Day in the Life/Give Peace a Chance
Let It Be
Hey Jude
Wonderful Christmastime
I Saw Her Standing There
Get Back
Yesterday/Scrambled Eggs
Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (Reprise)/The End

11 de dez de 2010

FRÓES FALA SOBRE LENNON

Por ocasião do 30º aniversário da morte de John no último dia 08 de dezembro, o produtor musical Marcelo Fróes, do Rio de Janeiro (e nosso colega no Portal Beatles Brasil), falou sobre como possivelmente Lennon estaria hoje, caso não tivesse acontecido aquele estúpido fato na porta do Edifício Dakota, em Nova Iorque. A entrevista foi ao ar pela Band News. Ouça:


Abaixo: Marcelo Fróes (E) e Big Charles, na saída do show de Paul McCartney no Morumbi, em 21 de novembro.

5 de dez de 2010

A PALHETA DO PAUL!

E o nosso amigo de Ouro Preto, da Beatles Brasil, o José Renato, assistiu ao show do Paul bem ali na frente, na pista prime. Ao final do show, aplaudindo nosso ídolo que saía do palco, sentiu uma pancadinha na testa... Olhou pra baixo, agachou e pegou simplesmente a palheta que Paul jogara para o público... Vai ser sortudo assim lá em Liverpool, José Renato!

Na foto abaixo, no The Concert For Assale - Bar Little Darling, São Paulo, dia 20 de novembro, dia anterior ao show do Paul no Morumbi, da esquerda para a direita: José Renato, Joolyn e Big Charles.


E abaixo, ao lado de uma tampa de caneta bic para referência do seu tamanho, a palheta jogada por Paul e "colhida" pelo afortunado José Renato.

2 de dez de 2010

SOMETHING! MORUMBI, 21 DE NOVEMBRO DE 2010! FILMAMOS!

Curta agora uma filmagem da canção Something (George Harrison) cantada por Paul em homenagem ao amigo, feita pela amiga Camila Pessoa que viajou com a gente de Goiânia para o show. Valeu, Camila!



Situação do Big Charles durante e após presenciar Paul cantando para o George:


E ali, a Camila, no maior chorôrô também!

28 de nov de 2010

27 de nov de 2010

BANDA VIX BEATLES NO THE CONCERT FOR ASSALE - 20/11/2010

Curta a banda Vix Beatles, onde toca o meu grande amigo e baterista Ricardo Martinelli, interpretando a canção Mr. Moonlight, do álbum Beatles For Sale, de 1964. Estávamos no The Concert For Assale, bar Little Darling, Moema, São Paulo no dia 20 de novembro de 2010, véspera do show de Paul no Morumbi!

O The Concert For Assale foi uma homenagem organizada pelo maestro Beto Ianicelli com toda a equipe da Beatles Brasil para o amigo, músico e também muito fã dos Beatles, Carlos Assale, falecido recentemente. God bless you, Assale!

26 de nov de 2010

PAUL COM OS SOGROS NO DIA DE AÇÃO DE GRAÇAS ONTEM...

E no jantar do Thanksgiving (Dia de Ação de Graças) ontem, 25 de novembro, em New York, Paul McCartney senta à mesa com Nancy - sua atual namorada - e os pais dela:

- Fique à vontade, Paul.
- Obrigado, Sr.
- Onde vocês estavam durante a semana?
- No Brasil.
- Brasil?
- Pois é...
- Tocando?
- Sim.
- Foi bom?
- Muito!

E virando para a esposa, mãe da Nancy, cochicha:

- Nessa altura da vida a nossa filha namorando um roqueirinho que não para quieto...

23 de nov de 2010

DIA 21/11 - SHOW DO PAUL NO MORUMBI

E o grande dia chegou! Nós todos iríamos ver um beatle! Nossa foto diante dos portões do Morumbi, esperando a hora de entrar:

Em cima, esquerda para direita: Paulinho, Mariângela e Vinicius. No meio, também da esquerda para direita: Big Charles e Rodrigo. Abaixo: Chein e Lívia!


Eu, Big Charles, e meu amigo de infância, o Chein na fila do Morumbi! Moleques, nos anos 70, comprávamos fichas de uma jukebox velha e ouvíamos Band On The Run umas 10 vezes seguidas, num bar perto de onde treinávamos basquete!


Eu e o Paulinho, no corredor da entrada! O sonho estava mais perto! Yeah!


Dentro do estádio vendo a movimentação da galera chegando!


Big Charles, Fabiano Barile e Miguel. Faltava apenas uma hora para o início do show!


Os telões já mostravam vários momentos da carreira dos Beatles e da carreira solo do Paul, com as canções!


A primeira música: Venus and Mars! Sim, era ele! Sir Paul! Yeah, yeah, yeah!


Ajeitando o microfone para o Sir Paul!


Big Charles e Paul, na mesma foto!


Todo mundo cantando A Day In The Life / Give Peace a Chance!


Depois de nos encantar com várias canções, Paul se despede. Após o bis, ele vai levar um belo tombo, tropeçando numa caixa de som. Bem humorado, levanta e dá um tchau! Obrigado, Sir Paul!!


E na saída, o encontro da turma da Beatles Brasil! D => E: Juliana e sua mãe, Mahyara, Cláudio Rock Star, Ana Guirro, Paulo Oliveira, Teran, Big Charles, Maestro Beto, Marcel Massa, Marcelo Fróes, Vladimir Araújo, Gustavo Montenegro, Prof. Lentz, Ricardo Martinelli (quase encoberto) e Joelminha!


E ANO QUE VEM PROVAVELMENTE TEREMOS RINGO!!!

SERÁ MAIS UMA BELA MAGICAL WONDERFUL TOUR!!!

22 de nov de 2010

DIA 20/11 - THE CONCERT FOR ASSALE - SP

Encontro com o pessoal da Beatles Brasil no Bar Little Darling, Moema, São Paulo, no The Concert For Assale!


Abaixo eu, o Big Charles (D), abraço o big boss da Beatles Brasil, o grande ][, o José Carlos de Almeida.


Abaixo, E=>D: Admus (Adriano Mussolin), ][ (José Carlos), Big Charles (Carlos Edu Bernardes), Rafawell (Rafael Godói - de amarelo), Cláudio Teran (o homem do Tóing!) e lá no fundo o Paulito (Paulo Oliveira).


Com a minha linda e querida amiga Audrey Copping, que veio de Londres especialmente para o Concert For Assale e para o show do Paul, a British Girl do Portal Beatles Brasil! Muito legal conhecer você pessoalmente, Audrey! FABeijos!


Roberta Azevedo, a Betinha, grande amiga de Guarapari (ES), que adorei ter conhecido pessoalmente!


Big Charles com o grande Ricardo Martinelli, o danado que levou o cartaz com a inscrição "Paul, deixe-me tocar bateria, só uma canção!" em Porto Alegre. Paul viu e respondeu para ele: "- Nós já temos baterista! Quem sabe numa próxima vez?".


Big Charles e o grande maestro Beto Iannicelli, o organizador do The Concert For Assale, que proporcionou o encontro dos membro da Beatles Brasil após quase 10 anos de Portal! Obrigado Maestro!


E=>D: Maestro Beto Iannicelli (SP), Ricardo Martinelli (ES), Big Charles (GO), José Carlos (BA), Cláudio Teran (CE) e minha querida Talma Lennon (PE)!


Com o meu amigo angolano, que veio direto de Luanda para o Little Darling e para o show do Paul, o imediato Paulo Seixas, do Submarino Angolano!

19 de nov de 2010

INDO PRA SÃO PAULO!

Olá, pessoal! Estou de malas prontas para ir ver o show do Paul no dia 21 em São Paulo! Até a volta! Beatles Forever!

12 de out de 2010

TERAN FALA DOS 70 ANOS DE JOHN

Nosso colega da lista Beatles Brasil, o Cláudio Teran, enviou o texto abaixo sobre os 70 anos de Lennon. Espero que apreciem!

De acordo com a legislação, 70 anos é a idade na qual se é oficialmente velho. Só que o rock and roll contradiz em absoluto essa afirmação. Seja porque guitarras não envelhecem (e as mais bonitas e charmosas são as Fender, Ricks, Gretshes, Les Paul com seus desenhos clássicos) seja porque os rockeiros também não ficam velhos. A não ser que vc se apegue ao senso comum de que ruga é velhice.

Ringo Starr completou 70 anos em 2010. John Lennon completou 70 anos em 2010. Um está vivo na terra. O outro permanece vivo nos nossos corações e na obra que deixou. Envelhecer fisicamente, não envelheceu. Sequer enrugou. Com 40 anos de idade Lennon estava magro e sem espaço para flacidez do corpo. Que teria sido dele se permanecesse vivo nesta terra e tivesse atravessado a eferverência dessas últimas três décadas?

Como estaria lidando com as redes sociais e a internet? O que acharia dos downloads pagos? Creio que seria favorável aos torrents piratas. O projeto Anthology, Let it Be..Naked, Live at BBC, e Yellow Submarine Songtrack teriam saído com ele entre nós? Let it Be teria sido relançado digitalmente? O Lennon que sequer conheceu o CD, o que acharia do DVD blu-ray?

John Lennon não faz falta somente porque desfalcou os Beatles para sempre quando se foi. É que não há ninguém no espaço que ele ocupou. Nem nunca haverá. Por isso continuamos a cultuá-lo. Nenhum outro cara expressou nas composições a dor e a delicia de ser o que é como ele. Quando ouço Jealous Guy fico observando como Lennon sabia ser com toda simplicidade o poeta do cotidiano. Qual homem não sofreu dores de amores e não sentiu ciúmes alguma vez nesta vida? E quem entre nós não tem momentos de absoluta identificação com o conteúdo da letra de In my Life?

O cargo mais cobiçado do mundo do rock'n'roll bem poderia ser a 'curadoria' do acervo deixado por John Lennon. Porque lá existe uma essência que Yoko Ono não consegue captar, nem ela que viveu tantos anos perto de Lennon mas, por se achar superior a ele, não consegue compreender o sentido de certas coisas. Talvez por isso não nos saiba repassar o que tem lá, nas entranhas dos arquivos dos sons e das imagens.

O John Lennon que sabemos, conhecemos, sentimos, mas não conseguimos rotular nem explicar. John é resistente, e se faz presente quando a gente ouve uma Gimme Some Truth ou Crippled Inside ou Oh My Love. Aflora quando nos rebelamos e quando mandamos às favas as regras estabelecidas.

Paul McCartney está chegando ao nosso país de novo, e eu estou lembrando de John Lennon, de como ele reagiria ao ver Paul com 68 anos dentro de imensos estádios se exibindo ao mundo nos palcos, tocando e cantando Beatles sem trauma culpa ou medo.

John Lennon adicionaria muito mais charme viço e conteúdo ao velocissimo mundo digital. Adicionaria mais rock'n'roll puro qualidade simplicidade e verdade também...

5 de out de 2010

FOO FIGHTERS

Sensacional cover do Foo Fighters, banda do David Grohl, da música Band On The Run, que saiu no álbum do mesmo nome, de Paul, em 1973. Show!

3 de out de 2010

OS DENEGRIDOS

Por Guilherme Lentz, direto da Beatles Brasil

Tudo que se diz sobre os Beatles é pouco.

Formados ao longo da segunda metade da década de 1950, os Beatles desbravaram mais territórios do que é possível enumerar. Sua obra reuniu a tradição musical inglesa, o rock´n´roll, os grupos vocais americanos, incorporando a essa mistura novos instrumentos, novas formas de arranjo, novas tecnologias de estúdio e de palco, especialmente desenvolvida por eles ou para eles. Nunca se fecharam em rótulos nem repetiram receitas de sucesso. Tendo levado a música popular além dos limites conhecidos, não hesitaram em incorporar elementos da tradição oriental, da nascente música eletrônica ou de inúmeras vanguardas com que tomaram contato. Chegaram ao sucesso com muita persistência, vencendo muitas dificuldades, mas conquistaram a Europa e, após romper a xenofobia norte-americana, o mundo. Em um dos constantes momentos de auge da carreira, quando poderiam tranquilamente se debruçar sobre as próprias glórias, os Beatles tiveram a coragem de se separar, e cada um seguiu seu caminho, em uma jornada que honra tudo o que eles fizeram, ao mesmo tempo em que representa uma ruptura com o que eles foram.

Ringo Starr construiu uma carreira marcada pela participação dos mais geniais músicos de várias gerações. Fez também experimentos como ator. Pelas facilidades e dificuldades de sua carreira, passou com graça e leveza, erguendo um conjunto sólido e respeitável de criações. No final da década de 1980, estreou sua All Starr Band, com que encantou o mundo mais uma vez, em shows memoráveis, ao mesmo tempo em que manteve a produção de álbuns em estúdio. Aos 70 anos, Ringo continua em plena atividade, unindo o vigor de um jovem à sabedoria de um profeta.

George Harrison tornou-se um artista muito singular. Após participar dos Beatles e ser sozinho responsável pela introdução da cultura indiana no mundo ocidental, apresentou o espantoso álbum triplo “All things must pass”, que deu início a uma sequência de trabalhos muito elogiados. Quando surgiu a necessidade, foi pioneiro no uso do rock´n´roll para causas beneficentes, através de seu memorável Concerto para Bangladesh. Aventurou-se no cinema, contribuindo muito para a carreira dos respeitados comediantes ingleses do Monty Python. Desgostoso com os rumos do mundo da música, tornou-se cada vez mais recluso em sua propriedade, Friar Park, de onde saía para raras, mas deslumbrantes aparições, como quando liderou o super-grupo Traveling Wilburys, ao lado de Bob Dylan e Roy Orbison. Abatido por um câncer, George foi levado de nós muito cedo, em 2 001, com apenas 57 anos. A religiosidade que o acompanhou ao longo de toda a sua vida, porém, permitiu que ele enfrentasse essa passagem com serenidade, deixando ao mundo a certeza de uma vida plena.

Após os Beatles, Paul McCartney não se intimidou. Na liderança de sua nova banda, Wings, percorreu o mundo, atravessando fronteiras físicas, filosóficas, musicais, políticas. Como artista solo, ergueu um corpo sem semelhança na história humana, abrangendo o rock tradicional, a música erudita, a poesia, o cinema, as artes plásticas e mesmo as transações comerciais. Em tudo o que faz, Paul é o mais bem sucedido sob qualquer critério imaginável. Mesmo assim, quando foi indagado sobre qual teria sido sua maior conquista, Paul não piscou: “Minha maior obra é minha família”. É com esse tipo de material que os Beatles foram feitos.

John Lennon, após se consagrar como criança, rebelde, roqueiro, compositor, cantor, arranjador, poeta, produtor, ator, desenhista, amante, marido, ativista e pai, ousou caminhar entre os homens comuns, mas foi covardemente alvejado em frente a seu lar. Mesmo em sua partida, deixou lições. Sua maior obra é sua vida. Sua morte deixou muitos projetos inacabados e promessas a se cumprirem. A saudade deixada por ele, porém, fala em nós, nos incitando a levar adiante o sonho de uma criação sem fronteiras, unindo todas as artes, todas as formas de linguagem, todas as crenças, todos os povos, todas as pessoas, em uma só realidade de amor. O legado de John Lennon é um incomparável monumento, que nos lembra, em cada aspecto, da infinita capacidade humana para ser luz. We a ll shine on.

Dessa saga, participam ainda muitas pessoas valorosas, como George Martin, Pete Best, Brian Epstein, Yoko Ono, Linda, Maureen, Barbara, Olivia, Mal Evans, Billy Preston, entre tantas outras, todas elas com sua própria contribuição.

Diante de tudo isso, é pouco, muito pouco dizer que os Beatles foram a maior banda de rock de todos os tempos. A obra dos Beatles vai além de tudo o que se conhecia antes deles. Ela engloba as artes gráficas, a moda, o cinema, a dança, a arquitetura, a filosofia de vida, a alma humana, a ecologia e muito mais. Musicalmente, eles são inexplicáveis, transcendentais. Eles são uma força da natureza, uma manifestação do poder divino através do mais admirável feito humano, a arte.

11 de set de 2010

YER BLUES

No dia 16 de fevereiro deste ano, Sean e Clapton se uniram para tocar Yer Blues, de John. Curta!

20 de ago de 2010

20 DE AGOSTO DE 1970

E o Cláudio Teran, que assina a coluna Pop Go The Beatles na Beatles Brasil, enviou-me a seguinte mensagem que posto aqui:

FOI A 41 ANOS, e a coluna virtual POP GO THE BEATLES, noticiou assim...

Wednesday 20 August
Studios Three/Two, EMI Studios, London
The Beatles Last Session

Uma das mais complexas gravações dos Beatles, 'I Want You (She's So Heavy)' de John foi completada nessa ocasião, entre 14h e 18h, no estúdio três. A mixagem aconteceu na mesma ocasião. O master tape produzido neste dia (aproveitando trechos das gravações anteriores) terminou com 7min44seg. Curiosamente aquilo que entraria para a história como um 'efeito', ou seja, o corte abrupto da canção quando está em volume total, foi na realidade um 'defeito', ou seja, a fita literalmente se rompeu naquele ponto. É possível que o corte abrupto ocorresse de qualquer maneira, considerando que faltavam apenas 20 segundos para a fita de rolo terminar. Todos gostaram da forma inesperada do 'fade' e foi assim que a faixa entrou no LP. Além dos múltiplos overdubs gravados, a versão final uniu trechos de gravações feitas no Trident Studios e em Abbey Road.

Das 18h a 1h15 todos se mudaram para o estúdio dois, onde um protótipo do master tape final de Abbey Road foi compilado. Neste ponto a versão finalizada tinha duas variações distintas. Numa delas um dos lados fechava com 'I Want You'. Na outra havia a dúvida de fechar um dos lados ou com 'Oh! Darling' ou com 'Octopus's Garden'. Foi uma noite decisiva para os Beatles e para a história da música popular. Quando todos se retiraram a ordem do setlist de Abbey Road estava resolvida. Talvez John, Paul, George e Ringo não imaginassem, mas a data entraria para a história como a última vez em que os quatro trabalharam juntos, justamente no estúdio dois de Abbey Road, onde produziram quase todos os seus êxitos, mudando definitivamente a história do rock e da música popular. Uma era se fechava na infatigável passagem do tempo.

E, portanto, o Beatlebox disponibiliza aqui a bela e intrigante canção. Curta!

I Want You (She's So Heavy)

16 de ago de 2010

33 ANOS SEM ELVIS...

Todos sabem que os Beatles adoravam Elvis Presley. O interesse de John pela música começa a surgir ainda na escola, a partir do momento em que ouve na rádio sucessos de Elvis Presley, como 'Heartbreak Hotel'.

A partir de março de 1957 formaria então, oficialmente, os The Quarry Men. Esta banda duraria até 1959, mas com inúmeras alterações e substituições de elementos. O tipo de reportórios vai variando conforme as atuações: músicas como 'Heartbreak Hotel', 'Don’t Be Cruel', 'Blue Suede Shoes' ou 'Jailhouse Rock', de Elvis Presley, vão sendo progressivamente incluídas.

Como diria uma vez John Lennon, ao fazer uma retrospectiva da sua carreira: “ -Nada me bateu tão forte como Elvis”.

E hoje o blog faz um tributo ao grande Rei do Rock, postando uma gravação de Elvis interpretando 'Hey Jude', dos Beatles!

Elvis Presley - Hey Jude (Lennon/McCartney)

22 de jul de 2010

ENQUANTO ISSO NA CASA BRANCA...

O Paulo Terron, da With Lasers, diz: finalmente chegaram à internet as imagens do show em homenagem a Paul McCartney realizado na Casa Branca, com participações de vários astros da música. Abaixo, por exemplo, Jack White canta 'Mother Nature's Son', que os Beatles lançaram no álbum The Beatles, em 1968. E ainda encaixa 'That Would Be Something', do primeiro álbum solo de Macca, no fim da performance. Impecável!


Watch the full episode. See more In Performance

8 de jul de 2010

70 ANOS DO RINGO!

Ringo completou 70 anos ontem, 07 de julho. God bless you Ringo!

E no show que ele estava dando com a sua All Starr Band no Radio City Music Hall em Nova Iorque, quem aparece no palco logo após o final do show, tal qual um bis nunca dantes imaginado? Paul McCartney! Sim, Paul apareceu no palco e tocou 'Birthday' (Lennon / McCartney) para o nosso querido Ringo! Curta!

10 de jun de 2010

THIAGO HEINRICH

Galera, posto aqui um vídeo sensacional do nosso colega de Beatles Brasil, o Thiago Heinrich!

Nele, o Thiago canta, faz os backings vocals, toca guitarra, baixo e bateria!  A canção é 'Back In The U.S.S.R.' canção de Paul do álbum The Beatles - White Album, de 1968.

Lembram-se do velho Macca no clipe da canção 'Fine Line' tocando todos os instrumentos? Pois é, o Thiagão, além de beatlemaníaco, prestou bastante atenção e produziu com muita competência esse trabalho aí. Curta! Vai, Thiago!

6 de jun de 2010

PAUL NO MÉXICO! TURNÊ 2010

Enquanto aguardamos (parece que eternamente...) notícias verdadeiras da vinda de Paul a Brasil, a nova 'boa' é que ele virá em 2011, colocamos aqui, para ficarmos com água na boca, um trechinho do show no México, dia 27 de maio último. Venha para cá, Paul!

8 de mai de 2010

GREGORIAN

O blog traz na postagem de hoje a belíssima canção 'Across The Universe', de John, interpretada pelo grupo Gregorian Chants.

Ela faz parte da track list do disco Songs Of The Beatles, de 2002. Ouça e se emocione, pois a música dos Beatles consegue ser visualizada e relida por qualquer viés que nos leva ao encantamento, sussurrando na nossa alma a sua universalidade. Curta!

Gregorian Chants - Across The Universe (Lennon/McCartney)

10 de abr de 2010

10 DE ABRIL DE 1970

Há 40 anos atrás nós ficávamos sem novas composições dos Beatles. Se bem que tivemos ainda, após a morte de John, os quatro reunidos em Free as a Bird e Real Love, como sonhos planejados e construídos na tentativa de tocar de novo o universo maravilhoso que criaram. Porém esse universo ainda está aí, pois suas canções perpetuarão enquanto houver corações que apostam no amor como guia da vida.

3 de mar de 2010

FROM LENTZ TO HARRISON

Pessoal, nosso querido George faria 67 anos no último dia 25 de fevereiro. God bless you, George!

E foi com muita emoção que nós da Beatles Brasil recebemos uma gravação do nosso companheiro de lista, o Prof. Guilherme Lentz, cantando Fill My Heart With Love, uma bela canção de sua autoria feita em tributo à George Harrison. O professor Lentz fala um pouco sobre ela:

"Apesar de muito palpiteiro, realmente não sei cantar, nem tocar violão, nem compor, nem fazer versos. Descobri que tenho muito a aprender quanto a preparar um bom som para ser capturado também. Mexer no MovieMaker, não consegui. Cortei até o iniciozinho da canção.

Mas, enfim, esse é meu tributo ao George, que eu queria acrescentar às homenagens que ele recebeu no dia 25 de fevereiro. É uma frasezinha que venho dedilhando desde que o George adoeceu, inventando pedaços de letra só mesmo para cantar junto. Nos últimos dias achei um jeito no refrão e acabei chegando no ponto de definir a canção. Acho que falta uma letra melhor e talvez uma boa enxugada, mas está aí.".

Obrigado por nos compartilhar esse momento carinhoso de tributo ao nosso querido George, professor! FABraços!



Fill My Heart With Love (letra)

If I´m ever feeling sad,
you are the one that makes me glad
If there is rain in my day,
I´ll carry you along the way
If I have my eyes with tears,
you show me how to face the fear
Do if you ask me what I say,
I say ´hold on; it´s gonna be ok´

Slidin´ right into my heart,
you talked about dying with art
You made love come to everyone,
you sing the moon and sing the sun
God is really everywhere;
you found the road to take us there
So if you ask me what I say,
I say ´hold on; it´s gonna be ok´

We are only grains of sand floating in the universe
We are once and again
Your verse is real,
and it fills my heart with love

Years go by,
you´re still my friend; this time,
I offer you my hand
You could never be alone;
millions of voices sing your song
If all things must really pass,
you are the one to everlast
So if you ask me what I say,
I say ´hold on, it´s gonna be ok´

1 de mar de 2010

ANOTHER NOWHERE MAN...

O nosso querido e talentoso maestro Beto Iannicelli, da Beatles Brasil, nos enviou, como um tipo de charada, a gravação que você vai ouvir hoje.

Ele perguntava quem era o intérprete da maravilhosa canção de John, Nowhere Man, nesta gravação. Bom, ninguém acertou e ele explicou:

"Essa performance é de um cantor americano chamado Tiny Tim e está no disco de Natal dos Beatles de 1968. Quem apresenta o Tiny no disco é George e foi, salvo engano, o primeiro disco de Natal, desde 63, em que houve a participação de alguém que não fosse um beatle. Ele ficou notabilizado pelos falsetes e vibratos fantásticos. O interessante da coisa é que sua voz natural é de barítono, ou seja, uma voz grave. Ele morreu em novembro de 1996. Ah! É ele mesmo quem toca o ukulele na gravação. Foi um cantor de bastante sucesso, inclusive chegou a ser atração no Ed Sullivan Show. Bom, foi só uma brincadeira para alegrar o povo.".

Valeu, maestro!

Tiny Tim (Nowhere Man - cover)

30 de jan de 2010

A CAPELLA

The Duke Pitchforks, é um grupo de estudantes da Duke University, situada na cidade de Durham, North Carolina, USA.

O grupo foi formado apenas por homens para cantar informalmente, a capella (o termo a cappella refere-se à música vocal sem acompanhamento instrumental. Este termo é proveniente da Itália, que, traduzindo ao português, significa "como na capela", pois as igrejas cristãs cantavam sem o acompanhamento de instrumentos musicais durante o seu primeiro século de existência. São exemplos de composições a cappella os motetos e os Madrigais), que começou a cantar junto em 1979. Eles foram reconhecidos como uma organização estudantil em 1981. Seus fundadores oficiais são Robert S. Clarke, Frank E. Block, James Bulleit, Eliot McCrory, e Kurt T. Uphoff.

No seu repertório conta uma variedade de canções populares e clássicas em vários estilos musicais inclusive baladas, jazz, blues, gospel, popular, e canções de barbearia tradicionais. Os Pitchforks se apresentam em hospitais, centros de recuperação, hotéis, clubes privados, casamentos, e em outros campus de faculdades.

O blog separou para você um medley dos Beatles cantado por ele. Curta!

The Duke Pitchforks - Beatles (a capella)