22 de jan de 2015

DEAR PRUDENCE

John Lennon escreveu esta música em Rishikesh, na Índia, durante a viagem que os Beatles fizeram para realizar um curso de meditação transcendental com o Maharishi Mahesh Yogi, de fevereiro a abril de 1968. 

Além deles, várias outras personalidades artísticas estavam presentes, como Mike Love dos Beach Boys e entre eles a atriz Mia Farrow, que levara a sua irmã Prudence Farrow junto. 

Prudence não participava das atividades com as outras pessoas do grupo; só queria ficar em sua cabana treinando meditação. Apesar das insistências, nada fazia com que ela saísse de seu enclausuramento. John, preocupado, tentou de qualquer maneira, alegrar Prudence cantando canções dos Beatles e fazendo suas palhaçadas. Resolveu então, fazer esta música para que ela abandonasse a sua solidão e viesse participar das outras atividades do campo ("to come out to play"). 

Um amigo de John e da banda, Donovan, ensinou a técnica do dedilhado no violão (que John usaria muitas vezes depois) e no final da mesma noite em que ele fez a letra, a base da melodia já estava pronta. 

Atualmente Prudence Farrow e seu marido, são professores e ambos continuam praticando avançadas técnicas de meditação transcendental. 

Leiam uma recente entrevista feita com ela: 

"Prudence, você é a “Dear Prudence”, da canção de John Lennon, lançada no White Album

Sim. Em 1968, eu fiz um curso de meditação de três meses na Índia com o Maharishi Yogi, na mesma turma em que estavam os Beatles. Minha irmã, Mia Farrow, que também fazia parte do grupo, veio ao meu quarto e no quarto ao lado estavam John Lennon e George Harrison, preocupados com a minha reclusão, pois eu quase não convivia com os demais. Quando eles foram embora do retiro, eles me disseram, "Nós escrevemos essa música para você", mas depois eu acabei me esquecendo dela. 

Quando você a ouviu, então? 

Minha mãe tocou para mim. É uma bela canção, mas havia muitos rumores sobre os motivos pelos quais John a escreveu, que eu era uma viciada em heroína, que tinha relações sexuais com ele... Não era nada disso, eu apenas estava direcionando todo o meu foco para a meditação. 

Deve ter sido difícil meditar com os Beatles ao lado. 

Sim, eles se mostraram como adoráveis desordeiros, mas achei-os divertidos."

Dear Prudence foi gravada no Trident Studios, em oito canais, nos dias 28 e 29 de agosto de 1968. Ela foi concluída no dia 13 de outubro, no Abbey Road Studios, com um remix para estéreo. Ringo Starr não participou da canção, pois ele havia se aborrecido com Paul e com o clima das sessões de gravação deste álbum, tendo, por alguns dias, abandonado o trabalho com os seus companheiros. 

Paul McCartney, assumiu as baquetas durante o período em que Ringo esteve ausente (além desta música, ele gravou também na bateria “Back in the U.S.S.R.”). 

Ringo retornou após um pedido de desculpas pela banda com flores espalhadas pela sua bateria, um presente especial de George Harrison.


5 de jan de 2015

LAGOS, NIGÉRIA... 1973

E Paul McCartney gravou o álbum Band On The Run em Lagos, na Nigéria. Um disco super bem feito e premiado posteriormente. Mas nem tudo foram flores na sua concepção. 

Quase que Paul veio gravá-lo na filial da EMI do Rio de Janeiro, mas parece-me que ela estava em reformas ou se mudando de local, não me lembro bem, e ele não veio. E para piorar o baterista Denny Seiwell e o guitarrista Henry McCullough resolveram abandonar o grupo às vésperas da viagem. 

E lá foram Paul, Denny Laine e Linda mais o engenheiro de som, Geoff Emerick. Paul e Denny gravaram guitarra, violão, piano, bateria e baixo. Linda ajudava na vocalização, letras e piano base. 

Ok. Daí um cantor nigeriano, muito influente por lá, acusou Paul de ter vindo roubar o 'seu som'. Depois de uma reunião com atmosfera pesada, Paul mostrou algumas canções e tudo ficou esclarecido. Depois Paul e Linda foram assaltados. Disseram a eles depois que se eles não fossem brancos provavelmente teriam sido mortos... E ainda por cima levaram as fitas de todo o material já gravado desde então. Paul teve que lembrar das canções e arranjos para continuar as gravações. 

Num outro dia Paul desmaiou por excesso de fumo, agravado pelo stress. Foi até o hospital, deu uma descansada rápida e logo voltou à ativa. 

A Adheli Tavares contou no blog The Beatles College que o “Band on the Run” foi lançado em dezembro de 1973, mas seu reconhecimento só veio em 1974. O Wings ganhou Grammy de “Melhor Performance Vocal de Pop” e disco de platina nos Estados Unidos, além do álbum ter sido o mais vendido de 1974. O álbum figura em importantes listas do mundo da música, como a lista de álbuns definitivos de rock da Rolling Stone e melhores álbuns britânicos da história, também da Rolling Stone. Paul lançou outra versão do disco, com “Helen Wheels” que havia sido lançada como single e entrou no disco lançado nos EUA, mesmo sem ser creditada, e “Country Dreamer”, que havia sido lançada numa versão do “Red Rose Speedway”, mas acabou entrando na versão 1993 do “Band on the Run”. Em 2010 foi lançada outra versão, para o projeto “Paul McCartney Archive Collection”. Desde seu lançamento, “Band on the Run” só recebeu críticas positivas. E finalmente Paul percebeu que não precisava de John Lennon para escrever sucessos. Não havia mais dúvidas de que Paul era capaz de ter sucesso sem os Beatles. Superação em todos os sentidos.