25 de fev de 2011

FELIZ ANIVERSÁRIO, GEORGE!

Hoje nosso querido George completaria 68 anos. E o da Beatles Brasil, o Cláudio Teran, escreveu o seguinte:

Sinto saudades dele. Faz falta sua presença fisica e sua ironia. Sua desolação também. Faz falta o sorriso dele, que traduzia timidez e gentileza ao mesmo tempo. Fazem falta novos acordes. Não que George Harrison tenha morrido. O legado ficou. O som da guitarra gentil também. George é talvez o mais famoso guitarrista da face da terra a não se exibir com seu instrumento. Na realidade nunca precisou. Harrison não recorreu a caras bocas e gestos teatrais para fazer a guitarra 'falar' porque jamais foi guitarrista de pose. A tal, 'atitude' de que falam tanto hoje em dia, funcionava diferente com George Harrison. Ele simplesmente tocava. Mansamente. No mais das vezes, sutilmente. Inscreveu na história solos e riffs que estarão sempre na memória do mundo. E se quisesse, poderia ficar numa rede branca ou numa cadeira de pedra no Havaí apontando os próprios feitos e se auto-exaltando. Continuaria sendo aclamado e bajulado. Felizmente a transcendência de George Harrison vai muito além. Por isso é que não basta ouvi-lo e reouvi-lo. ELE é que faz falta. O cara que ele foi. Quantos discos teria feito se continuasse entre nós? Talvez lhe faltasse apetite para uma turnê. O que ele achava bom mesmo era subir ao palco durante o show de um amigo do rock para tocar sem planejamento nem combinação. Só pelo prazer. Quer sentir falta mesmo de George Harrison? Va a um show de banda cover num desses barzinhos da vida. Se o guitarrista não tiver feeling a coisa não vai fluir. Até quem não entende muito de música mas curte Beatles por certo notará a falta de algo naquela execução. É o espirito do George, a gentil presença concebida para sentir. Let me in here/I know I've been here/let me into your heart...

Belo texto, Teran!

God bless you, George!

23 de fev de 2011

FUTURO

E o meu grande amigo Adriano Mussolin, o Admus, da Beatles Brasil, colocou no seu blog www.beatledrops.blogspot.com a seguinte postagem que reproduzo aqui. Ele escreveu:

"É por ver o encantamento que a música dos Beatles provoca nas crianças, ainda hoje, que acho que a beatlemania é eterna. Essa é a Luiza, filha de um casal de amigos. Não é demais?"

14 de fev de 2011

BEATLES NO GRAMMY 2011!

Durante a pré-cerimônia do 53º Grammy Awards, ontem, Paul McCartney levou sua primeira estatueta-solo do Grammy em 39 anos. O beatle ganhou na categoria melhor gravação ao vivo com uma versão do hit "Helter Skelter", de sua antiga banda, gravada em 2009 no disco "Good Evening New York City".

O prêmio marca o 14º Grammy de Mccartney, sendo que dez dos prêmios têm ligação com os Beatles. Com sua carreira solo, Macca conquistou o último Grammy em 1972 pelo arranjo de "Uncle Albert/Admiral Halsey". Desde 2005, o músico recebeu 11 indicações.



E ainda: o Beatles Stereo Box Set levou Grammy de Melhor Álbum Histórico!

Yeah, yeah, yeah! Quarenta anos depois os caras ainda são referência!

10 de fev de 2011

LEE RITENOUR REVISITA A DAY IN THE LIFE

O californiano Lee Ritenour transita com naturalidade por estilos como jazz, rock e música brasileira. Começou a trabalhar profissionalmente aos 16 anos, como músico de estúdio – gravou para o grupo The Mamas and the Papas. Aos 18, acompanhou Lena Horne e Tony Bennett.

Em 40 anos de uma carreira bem sucedida, teve 17 indicações ao Grammy, sendo vencedor com o disco Harlequin (1984), que contou com a colaboração de Dave Grusin e Ivan Lins. Nos anos 1990, foi fundador do grupo de fusion Fourplay, juntamente com o tecladista Bob James, o baixista Nathan East e o baterista Harvey Mason. Com a banda, Ritenour registrou três discos que misturam elementos de jazz e pop.

Como músico de estúdio, o currículo do guitarrista inclui gravações com artistas dos mais diversos estilos, como Pink Floyd, Steely Dan, Dizzy Gillespie, Sonny Rollins, Joe Henderson, B.B. King, Frank Sinatra, Simon and Garfunkel, Ray Charles, Peggy Lee, Aretha Franklin e Barbra Streisand. A influência brasileira na música de Ritenour também é evidente. Ele já trabalhou com nomes como Djavan, João Bosco, Gonzaguinha e Caetano Veloso.

Dono de uma técnica cristalina e um virtuosismo invejável, Lee Ritenour é um mestre tanto na guitarra quanto no violão de cordas de náilon.

E o Beatlebox traz para você hoje Lee Ritenour interpretando A Day In The Life, de Lennon / McCartney. Curta!

9 de fev de 2011

HOJE FAZ 50 ANOS DO 1º SHOW DOS BEATLES!

Os fãs dos Beatles vão se reunir em Liverpool, a 350 quilômetros de Londres, hoje, quarta-feira, dia que a banda completa o 50º aniversário do seu primeiro show.

John, Paul, George e Pete Best (Ringo o substituiria em agosto de 1962- - nota do Beatlebox) se apresentaram pela primeira vez no Cavern Club de Liverpool, em um show marcado para o meio-dia que seria o primeiro de quase 300 que fariam ali ao longo de dois anos.

Em agosto de 1963, quando os "Fab Four" já eram mundialmente conhecidos, o grupo fez sua última apresentação neste endereço que seria demolido na década de 1970 para construir um centro comercial.


Existe uma réplica a poucos metros do lugar original do clube, em Mathew Street, onde os fãs da banda se reunirão nesta quarta-feira para celebrar a data.

Uma série de eventos organizados pela Cavern City Tours, os donos da réplica do clube, acompanhará o aniversário da banda.

A Prefeitura de Liverpool planeja cobrir a Mathew Street em homenagem à canção "Lucy in The Sky with Diamonds".

Também vão reformar a estátua de John Lennon e a escultura que representa o grupo, obra de Arthur Dooley.

Fonte: http://bitw.in/m7J