31 de mar de 2016

UNICÓRNIO - JAMES McCARTNEY

Dia 6 de maio vem aí com o álbum The Blackberry Train, de James McCartney, filho de Paul McCartney. 

E dele foi extraída a canção Unicorn, novo single de James. De acordo com a Kobalt, editora de The Strauberry Train, esta música alterna entre o alt rock e o espiritualismo centrado no psicadelismo, seja lá o que isso quer dizer. Mas, ouça!

23 de mar de 2016

PAPERBACK WRITER E O DENTE QUEBRADO DE PAUL

Em 1966, Paul McCartney aparece com um dente quebrado na gravação do clipe de Paperback Writer, resultado do acidente de moto que ele sofreu dias antes da filmagem. 

Este fato serviu de base para a famosa lenda de que Paul teria morrido num acidente de carro. Veja abaixo uma animação de como teria sido difícil para o diretor do clipe 'esconder' o dente quebrado de Paul...

18 de mar de 2016

VIVA E DEIXE MORRER COM B.J. ARNAU

Live and Let Die é uma canção de Paul McCartney e do seu grupo Wings, composta por Paul e sua esposa Linda para o oitavo filme de James Bond, Live and Let Die

Após seu lançamento em 1973, a música se tornou um grande sucesso, chegando ao segundo lugar nas paradas americanas e o sétimo nas britânicas, e mais tarde foi indicada ao Oscar de melhor canção perdendo para The Way We Were, tema do filme O Nosso Amor de Ontem, estrelado por Robert Redford e Barbra Streisand, e cantado por ela própria (pra mim - sei que sou suspeito, mas... -, não chega nem aos pés de Live and Let Die). 

Ela foi gravada enquanto aconteciam as sessões do álbum Red Rose Speedway. Durante o filme, outra versão da música é apresentada, interpretada por Brenda Arnau enquanto Bond está em um clube, mas esta não aparece no álbum da trilha sonora. Eis a versão. Vamos ouvi-la?

9 de mar de 2016

ADEUS GEORGE MARTIN

Faleceu ontem, 8 de março, por causas ainda não divulgadas, Sir George Martin, o produtor, arranjador e compositor que possibilitou aos Beatles gravarem sons numa dimensão quase ilimitada.

Algumas magias do magistral George Martin

Praticamente no início de tudo, Martin não se opôs à ideia dos Beatles de lançarem a música Please Please Me, de autoria própria, ao invés de uma escolhida por ele, a How Do You Do It?. Mesmo assim, ela foi gravada pelos Beatles e pelos Gerry & The Peacemakers, porém não lançada pelos Beatles, que apostaram em Please Please Me. E George Martin estava tão certo que How Do You Do It?, produzida também por ele, chegou ao primeiro lugar nas paradas de sucesso britânicas. A Please Please Me original era mais lenta, no estilo choroso de Roy Orbison. George Martin achou por melhor acelerá-la. E sabia o que estava pedindo. Os Beatles já haviam lançados 2 singles no início de 1963: Love Me Do (com P.S. I Love You do outro lado) e Please Please Me (com Ask Me Why). Ambos foram bem recebidos, especialmente Please Please Me, que alcançou o 1º lugar; 

John Lennon certa vez deixou sua guitarra encostar numa caixa de som causando uma distorção. Ele perguntou a George Martin se era possível colocá-la numa canção, e é o som que ouvimos no início de I Feel Fine; 

Noutra ocasião, John queria que sua voz soasse como um coro de monges tibetanos cantando do alto de uma montanha. George Martin fez sua voz passar por um alto-falante Leslie e é a voz que ouvimos em Tomorrow Never Knows

O piano, ao estilo barroco, de In My Life foi tocado por George Martin. E é lindo demais. Posteriormente, Martin fez vários experimentos com sucesso na gravação do Sgt. Pepper's, além de tocar um pianet Hohner em Getting Better, um cravo em Fixing a Hole e um harmônio em Being for the Benefit of Mr. Kite!; 

Paul, certa vez, ouviu um trompete numa apresentação de música clássica e ficou encantado. Perguntou ao seu produtor se aquele som ficaria legal numa música. George Martin disse que sim e o colocou em Penny Lane

John gravara várias versões da música Rain. Levou as fitas pra casa. Em certo momento, sob efeito de alguma coisa, colocou os lados contrários das fitas no gravador e elas começaram a tocar ao contrário. Ele adorou! Conversou com Martin e quis que o efeito constasse na música. George assim o fez e no final de Rain podemos ouvir um trecho ao contrário (John repetiria a experiência logo depois em I'm Only Sleeping, do álbum Revolver); 

E são muitas outras! Os arranjos de cordas em Eleanor Rigby, a tabla indiana em Love You To, o quarteto de cordas em Yesterday, a orquestração incrível - e aparentemente desconexa - de A Day in the Life, o coral de 16 pessoas cantando abobrinha pra causar mais confusão ainda no final de I am The Walrus, o trabalho magnífico com seu filho Giles Martin no álbum Love, são mais algumas delas! 

Em sua carreira, Martin ganhou diversos prêmios Grammy e um Oscar por A Hard Day's Night. Em 1999, entrou no Hall da Fama do Rock

Ele, sem dúvidas, ficará vivo eternamente nas músicas dos Beatles. O produtor musical, arranjador e compositor cuja genialidade moldou o som da maior banda de pop/rock de todos os tempos. Um gênio. Um profeta que apostou nos delírios sonoros dos Beatles e os concretizou para a posteridade. 

Viva Sir George Martin! God bless you!



3 de mar de 2016

COR!

Vejam e ouçam agora a canção And I Love Her, executada pelos Beatles no filme A Hard Day's Night,  de 1964, colorizada! Yeah!